Sobe para oito o número de casos de vítimas de falso motorista de Uber

Ao menos oito casos são atribuídos ao falso motorista de Uber, Magno Cristóvão de Assunção Guerra, de 47 anos, detido ontem no bairro Parque Verde, em Belém. O acusado foi preso preventivamente após ter sido reconhecido por duas vítimas que registraram boletim de ocorrência no Propaz Mulher, sede da Divisão Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM). O homem fingia trabalhar para o aplicativo de transporte com objetivo de estuprar mulheres na capital paraense.
Hoje (21), mais seis casos registrados em outras delegacias de Belém foram levantados pela delegada Janice Aguiar, titular da Deam que é reponsável pelas investigações. Das ocorrências, duas estão registradas na Seccional do Comércio, duas na Delegacia do Benguí e mais duas na Seccional da Sacramenta. Em todas elas, a similaridade de atuação do criminoso chamou atenção da delegada.
Com um carro novo, o acusado percorria saída de festas e shoppings centers em busca das vítimas: mulheres. O falso motorista convencia os alvos a entrar no carro ao oferecer um preço abaixo do aplicado pelo aplicativo de transporte. O percurso seguia normalmente até o homem anunciar um assalto e dizer que estava armado, apesar de não mostrar a arma às vítimas. No tempo em que estavam com o acusado, as mulheres eram molestadas. Após o crime, o acusado ordenava que as vítimas descessem do carro. De acordo com a delegada, o preso tentou se cadastrar no aplicativo Uber em agosto deste ano, mas teve o cadastro reprovado.
Na delegacia, uma das vítimas relatou que, em meia-hora com o criminoso, foi abusada e teve o celular e bolsa roubados. Os dois casos registrados na DEAM ocorreram em dias diferentes. Segundo a Polícia Civil, um aconteceu no dia 14 e outro no dia 19, com vítimas que haviam saído de locais de shows em Belém. “Vamos chamar todas essas vítimas para fazer o reconhecimento do acusado”, explica a delegada Janice Aguiar.
Magno Guerra é casado e pai de um casal – a filha é adolescente. No momento da prisão, a esposa do homem se disse surpresa com as acusações. No carro do acusado, alguns objetos de possíveis vítimas foram encontrados. O veículo foi apreendido.
As vítimas já atendidas pela DEAM também estão sendo atendidas no setor social do Propaz Mulher.

A delegada reforça que outras vítimas de crimes semelhantes podem procurar a DEAM, localizada no Propaz Mulher, na Travessa Mauriti, 2.394, entre Travessa Rômulo Maiorana (25 de Setembro) e Avenida Duque de Caxias, no bairro do Marco. As investigações continuam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *